16/04/2016

RELAXAMENTO CAPILAR



É muito comum observar danos em cabelos que passam por relaxamento, o procedimento realmente pode danificar os fios porque é uma química forte, e age nas camadas mais profundas dos fios.

Algumas questões deverão ser consideradas no momento de decidir quais os produtos para relaxamento que irá fazer nos cabelos, dentre elas as mais importantes são o tipo de cabelo que a pessoa possui (grosso, fino, crespo, cacheado, com raiz lisa ou não) e a química que usou anteriormente.

É necessário fazer um diagnóstico dos cabelos com antecedência para não comprometer os fios com o relaxamento. Os cabelos deverão estar saudáveis e com elasticidade, e outras químicas, como tintura e descoloração em geral, também entram na lista das químicas utilizadas anteriormente.

Os produtos para relaxamento são basicamente a base de Hidróxido (de Guanidina, ou cálcio+ iminouréia, ou potássio, ou sódio) ou dettioglicolato de amônio.

É muito importante que o profissional entenda de compatibilidade entre químicas e o que é indicado e contra indicado para cada caso no momento de fazer um relaxamento capilar.

Produtos para relaxamento a base de Hidróxido de Guanidina são os mais incompatíveis com outras químicas, todas que possuem amônia, inclusive tintura, e particularmente os considero com maior poder de alisamento, portanto são indicados para pessoas que possuem cabelos mais afro e rebeldes.

Os produtos para relaxamento a base de Hidróxido de Sódio e Cálcio também são incompatíveis com descolorações e amônia, eles alteram a estrutura dos fios e enfraquecem os cabelos, que consequentemente não resistem a um futuro processo de clareamento.

Os produtos para relaxamento que são compatíveis com colorações e mechas são os à base de Tioglicolato de Amônio e de Amônia.

É imprescindível o Teste da Mecha antes de aplicar a química por completo nos cabelos. Além da resistência dos fios, que poderão não aguentar ao relaxamento, alguns produtos para relaxamento que são considerados seguros e compatíveis não são.

OBSERVAÇÃO:

Para quem já faz uso do alisante e coloração, daqueles que são compatíveis, o mais indicado é que se dê uma pausa entre um procedimento e outro, de no mínimo três dias, e a ordem certa é alisar primeiro para colorir posteriormente, porque a química poderá alterar a cor dos fios recém-coloridos.


Se for combinar relaxamento com coloração, ou descoloração, fique atenta as compatibilidades e redobre os cuidados. É importante manter uma rotina de reposição de nutriente para manter a saúde dos fios.