11/12/2011

CUIDANDO CORRETAMENTE DOS CABELOS QUIMICAMENTE MODIFICADOS


Há tempos as mulheres - agora também os homens- utilizam algum tipo de química para transformar o visual. Mas a tal mudança acaba acarretando diversos danos aos fios capilares, já que o descuido após a aplicação da química em si resulta o ressecamento, quebra e a perda de vida dos cabelos.

Para desfrutar sem culpa das inovações que a indústria cosmética vem apresentando a única alternativa é cuidar regularmente dos cabelos.

Segundo o Mestre em Dermofarmácia e Tecnologia de Cosméticos pela Universidade de Barcelona, Dr. Marcelo Schulman, todo o processo químico altera a estrutura do cabelo, tornando-o mais sensível, por isso, depois de tingir, alisar ou fazer permanente os cuidados devem ser redobrados. "De fora para dentro, o cabelo é formado por cutícula, córtex e medula.

Os processos químicos atingem a cutícula e o córtex, tornando os cabelos fracos, desvitalizados, sem vida, sem brilho e com escamas abertas", acrescenta. O processo de colorir os cabelos deve ser conhecido antes de efetuar a coloração, já que apresenta diversos tipos no mercado, logo após, deve ser feita a melhor opção para o seu tipo de cabelo.


Shampoos e Loções Tonalizantes: são os que apresentam menor agressão aos fios capilares, pois sensibilizam menos os cabelos. Mas existe o fator nocivo aos cabelos, já que a sua composição não é igual aos do shampoos de lavagem. Outra característica desfavorável é o curto tempo de duração, permitindo o uso mais freqüente do produto.

Tintura Creme: Procedimento muito agressivo por conter amônia em sua composição. A atuação da fórmula abala a estrutura do cabelo, o que resulta na perda da elasticidade e brilho natural dos fios. Já a vantagem deste tipo de coloração é a durabilidade da cor nos cabelos.

Henna: Mesmo sendo natural, a tintura feita por Henna provoca o ressecamento dos fios por conter a substância tonina.

Para obter um bom resultado após a coloração dos fios é imprescindível o uso de produtos específicos para cabelos modificados quimicamente como shampoos à base de complexo desmineralizante que evita o alaranjado e o esverdeado dos fios e, também, formulados com D-Pantenol, que atuam no cabelo deixando-os brilhante, forte e fácil de pentear. Já o recondicionador deve ter ação protetora com fórmula à base de Vitamina E, e conter ainda um tipo de filtro solar quaternizado, permitindo neutralização da carga eletrostática que é deixada pelo resíduo do shampoo.

O cuidado intensivo e profundo dos fios capilares deve ser realizado, de uma a duas vezes por semana, com uma hidratação através de produtos formulados com óleos naturais, como a Macadâmia, que devolve o equilíbrio da oleosidade do couro cabeludo e a umectação e brilho dos cabelos.

Aconselha-se também o uso de reparadores de pontas, feitos com silicone, para evitar o surgimento de pontas duplas. "Vale ressaltar que o risco de ressecamento é bem maior para quem tem cabelo comprido", ensina o dr. Marcelo Schulman, da Vita Derm. "Isso acontece porque a umectação dos fios é feita através da gordura natural produzida pelas glândulas sebáceas. Essa gordura se deposita no couro cabeludo e se espalha pelos fios, dando a eles umectação, assim, quanto mais longos forem os fios menores a quantidade de gordura recebida. Por isso, é muito comum, para quem tem cabelo comprido, apresentar couro cabeludo oleoso e pontas ressecadas principalmente depois das tinturas, permanentes ou alisamentos", finaliza.

Consultoria: Dr. Marcelo Schulman - Mestre em Dermofarmácia e Tecnologia de Cosméticos e Diretor-Presidente da Vita Derm