02/09/2011

COMO PREPARAR UM CABELO SENSIBILIZADO PARA RECEBER UMA QUÍMICA ?

Reestruturação Capilar

Como preparar um cabelo sensibilizado para receber uma química?

A mulher brasileira é considerada a mais bonita em todo o mundo. Mas isso não é apenas um título. Entre todas é, também, a mais vaidosa. O Brasil lidera o ranking de cirurgias plásticas e é grande a corrida pela perfeição em academias, clínicas de estética e salões de beleza. Essa demanda exige dos profissionais de beleza uma constante atualização, descoberta de novas técnicas e a necessidade de produtos que atuem de forma eficaz para alcançar o resultado desejado.

Nos salões, pedidos de relaxamentos, descolorações, mechas, colorações, cortes e penteados, seguindo o estilo de belas e famosas mulheres, é uma constante. Em se tratando de cabelo, uma transformação bem sucedida exige alguns requisitos básicos e indispensáveis como brilho, sedosidade, maleabilidade, maciez e aspecto saudável dos fios.

Os problemas começam quando uma cliente, com cabelos sensibilizados, danificados e maltratados pede uma transformação: “Quero os cabelos lisos, com uma cor vibrante e algumas mechas”.

O que fazer? Coma aplicar uma química num cabelo fragilizado?

O teste de mecha mostra que esse cabelo não vai agüentar o relaxamento e, muito menos, uma coloração simultânea. Antes de aplicar qualquer tipo de química deve ser feito o teste de mecha, que vai identificar o problema e as possíveis causas.

A porosi-dade, causada pela perda das escamas protetoras, é o primeiro sintoma de um cabelo sensibilizado. E as causas são várias.

Entre elas:

- Radiação solar (ultravioleta) que age como uma química de relaxamento, desbotando e sensibilizando os fios.

- Uso indiscriminado de produtos cosméticos de baixo custo e má qualidade.

- Facilidade na aquisição de kits de relaxamento e coloração, aplicados sem nenhum critério.

- Resíduos de condicionadores (é comum não enxaguar bem o cabelo achando que vai ficar mais sedoso e macio).

- Cabelos úmidos ou molhados, presos o dia todo.

- O uso de secadores e chapinhas sem proteção do fio.

A próxima etapa é solucionar o problema através do tratamento e recuperação do fio, seguido de um trabalho de conscientização, onde se esclarece a importância do uso de produtos adequados, mesmo que tenham um valor mais elevado.

Preparar os cabelos sensibilizados e fragilizados para receber uma química de transformação, requer um trabalho de preenchimento da fibra com proteínas seguido de uma reposição de escamas e selagem do fio.

Parece simples - ou será impossível?

A pesquisa e o desenvolvimento tecnológico permitiu a criação de produtos que atuam de forma eficaz sobre a fibra capilar devolvendo a força e o aspecto saudável, dando condições aos cabelos de receber uma nova química de transformação.

Não é possível falar em transformação de cabelos fragilizados em cabelos fortes e saudáveis sem pensar em REPOSIÇÃO DE PROTEÍNAS.

As proteínas contêm grupamentos amínicos e ácidos, entre outros, compatíveis com a queratina do cabelo. Um blend de proteínas, em forma de aminoácidos, peptídeos e polipeptídeos, irá se encarregar de preencher a fibra capilar.

A proteína de colágeno atua devolvendo a força e a resistência ao fio; a proteína de trigo quaternizada irá aderir-se vigorosamente ao fio, mantendo um grau elevado de hidratação por tempo prolongado; a proteína da seda vai devolver a elasticidade e o brilho saudável ao fio, e a proteína de queratina irá repor a queratina natural perdida. Assim, em uma só etapa, é possível preencher e aumentar a resistência do fio, hidratar profundamente e melhorar a elasticidade e brilho da fibra.

Os cabelos, imediatamente, ficarão mais fortes e resistentes.

É preciso repor, também, os nutrientes perdidos, revitalizar o cimento intercelular e melhorar as condições de emoliência do fio, aumentando sua elasticidade, brilho, maciez e maleabilidade natural.

Vitaminas, sais minerais e microelementos nutrientes são encontrados, em alta concentração, nos extratos de algas Hypnea musciformis e Gellidiela acerosa, fontes marinhas de vigor e revitalização.

Uma associação balanceada e ativa de emolientes deve compor uma máscara que, aplicada sobre o fio, regenera o cimento intercelular devolvendo a vida aos cabelos, tornando-os naturalmente saudáveis.

Ativos filmógenos devem ser depositados sobre a fibra, forçando a penetração das proteínas, proporcionando um trabalho de recuperação intenso e profundo dos cabelos. Finalmente, deve-se repor as cutículas e selar o fio formatando e prolongando a ação das proteínas e ativos nutrientes adicionados.

Um brilho intenso irá surgir do alinhamento e selagem das escamas.
Fios fortes terão melhores condições de receber uma nova coloração.

O relaxamento irá exigir maiores cuidados, pois será preciso proteger os fios mais finos e sensíveis.

Deve-se escolher uma fórmula protéica e filmógena que envolva o fio, minimizando a ação do ativo de relaxamento, evitando o corte químico.

O teste de mecha, para avaliação real do tempo e processamento, continua sendo indispensável.

O tempo de ação, com certeza, será bem menor do que num cabelo virgem; mesmo assim, o relaxamento será um sucesso e não causará danos ao fio.

A avaliação do cabeleireiro e o bom senso continuam sendo fatores primordiais, evitando qualquer surpresa. Não podemos esquecer que cada pessoa apresenta um grau de resposta a um tratamento.

A utilização de produtos de manutenção bem indicados e hidratações freqüentes são indispensáveis para o rápido restabelecimento das condições saudáveis do fio. Enquanto isso, as pesquisas seguem e a busca de novos ativos, cada vez mais potentes e eficazes, garantem ser possível alcançar a meta do padrão de beleza da mulher brasileira.

Fonte: Revista Cabelereiros

Mais informações:lookchique@gmail.com