15/03/2010

CABELO NA VIAGEM AO TEMPO

Scarlett O'Hara (Vivien Leigh) de "...E o Vento Levou"

SECADOR DE CABELO

PASSADO A partir de 1929 nada era mais chique do que freqüentar um salão de beleza para secar os cabelos numa grande cúpula de ferro ligada a um emaranhado de fios. Nos anos 50 foram lançados os modelos portáteis. Uma mangueira ligava o aparelho a uma touca que retinha o ar quente.

PRESENTE Os secadores atuais pesam cada vez menos e a potência e a eficiência são maiores que no passado. Novos aparelhos incorporaram a tecnologia de íons, que eliminam a eletricidade estática.

FUTURO O secador vai se transformar num produto inteligente, acredita Kent Yu, presidente da T3, empresa americana de secadores. “Estamos em busca de aparelhos capazes de emitir um sinal de que o cabelo está seco, dispensando uma exposição exagerada ao calor”, diz.

XAMPOO

PASSADO Os primeiros registros datam de 1900, nos Estados Unidos. Até os anos 70 não havia muitas opções. Os normais eram tratados com xampu de ovo, os oleosos com produtos à base de limão, e os secos, com lanolina. Como o ph não era controlado, os fios sofriam muita agressão.

PRESENTE O foco principal é o tratamento: para cabelos quimicamente tratados, cacheados, lisos, para controlar o volume, enfraquecidos, com tendência a queda… Em todos eles o detergente usado para limpar os fios é muito menos agressivo do que o empregado no passado.

FUTURO “Pesquisas indicam que os ativos benéficos dos xampus atuais terão suas partículas reduzidas para que possam ser absorvidas completamente pelos fios”, explica a terapeuta capilar Patrícia Maciel.

COLORAÇÃO

PASSADO Em 1907 o químico francês Eugène Schueller inventou a primeira tintura de cabelo e, alguns anos mais tarde, fundou a L’Oréal. O fenômeno da loira platinada, marco creditado à atriz Jean Harlow, fez com que as tinturas se tornassem um hit nos anos 30. Produtos químicos, como o chumbo, eram utilizados em alta concentração, irritando o couro cabeludo.

PRESENTE A concentração das substâncias tóxicas das tinturas é menor e consegue promover a coloração e a hidratação dos fios ao mesmo tempo. As tinturas temporárias apresentam maior durabilidade.

FUTURO “A tendência é que haja uma grande quantidade de restauradores capilares nas tinturas para que o cabelo recupere a sua estrutura e saúde mais rapidamente”, aposta o cosmiatra e dermatologista Jardis Volpe.
Rodrigo lima