25/10/2009

LOIRAS NATURAIS PODEM SER ESPÉCIE DE EXTINÇÃO

Reportagem de Laure Belot e Véronique Lorelle para o Le Monde informa que de acordo com um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) será pouco depois de 2200, na Finlândia, que nascerá a derradeira loira do planeta. Desde 2002, contudo, a OMS - citada como a fonte deste estudo que anuncia "a extinção do gene que caracteriza os verdadeiros loiros" - não se cansa de clamar que ela "nunca conduziu pesquisas sobre este assunto".Apesar dessas ressalvas, a brincadeira não deixa de ter fundamento.

O planeta conta 6,5 bilhões de indivíduos, dos quais cerca de 1 bilhão na África e 4 bilhões na Ásia (da Turquia ao Japão), Em 2050, a população mundial terá aumentado para 9 milhões de humanos. Os 3 bilhões de pessoas suplementares serão principalmente oriundos da África, da Ásia e da América do Sul.Logo, a freqüência dos loiros vai diminuir. E isso acontecerá tanto mais que essa cor de cabelos, assim como os olhos azuis, se deve a genes recessivos.

Para ser loiro, é preciso herdar dois genes que comandam esta característica, sendo que um provém do pai, e o outro da mãe. Se, em todo o mundo, o número de genes loiros permanece constante, ao passo que aquele de genes morenos vai aumentando, haverá uma probabilidade decrescente de que duas pessoas herdem dois genes loiros, os quais constituem uma condição impreterível para que eles sejam loiros.